fbpx

A versão brasileira de Pluriverso: um dicionário do pós-desenvolvimento começou a ser tramada no começo de 2019, no centro de São Paulo, durante uma conversa com Alberto Acosta. Na época, a edição original do livro, em inglês, estava recebendo os últimos retoques para ser lançada: apareceu pela primeira vez na Índia, algumas semanas depois. Desde então, o trajeto foi longo.

Após quase três anos, temos muito orgulho de ter o Pluriverso como o 78º título da Elefante. A obra organizada por Ashish Khotari, Ariel Salleh, Arturo Escobar, Federico Demaria e Alberto Acosta é leitura essencial para o conhecimento das inúmeras alternativas ao capitalismo, ao progresso e ao desenvolvimento que se desenham na prática nos cinco continentes.

Como sempre, muita gente contribuiu para que esse livro se tornasse realidade. A tradução é de Isabella Victoria Eleonora. Agradecemos muito o trabalho de preparação e revisão de Natalia Engler, Leticia Feres, Laura Massunari, Tomoe Moroizumi e Carolina Hidalgo Castelani, bem como a assistência de edição de Luiza Brandino e a edição de Tadeu Breda. A diagramação é de Denise Matsumoto. Foram 576 páginas de muito trabalho por aqui, gente. A capa é de Hannah Uesugi e Pedro Botton, do Estúdio Arquivo. E o projeto gráfico da coleção Alternativas, da qual Pluriverso é o mais novo volume, é de Bianca Oliveira.

No final do processo, nossos parceiros do Coletivo 660 e da Ação Educativa, compreendendo a importância do lançamento do livro no Brasil, concederam um apoio à publicação, o qual agradecemos imensamente. Ainda vem mais por aí em 2021. Vamos juntes!

Também pode te interessar