fbpx

Silvia Federici

é uma intelectual militante de tradição feminista marxista autônoma.

Nascida na cidade italiana de Parma em 1942, mudou-se para os Estados Unidos em 1967, onde foi cofundadora do International Feminist Collective (coletivo internacional feminista), participou da Wages for Housework Campaign (Campanha por um salário para o trabalho doméstico) e contribuiu com o Midnight Notes Collective (coletivo notas da meia-noite).

Durante os anos 1980 foi professora na Universidade de Port Harcourt, na Nigéria, onde acompanhou a organização feminista Women in Nigeria (Mulheres na Nigéria) e contribuiu para a criação do Committee for Academic Freedom in Africa (comitê para a liberdade acadêmica na África). Na Nigéria, pôde ainda presenciar a implementação de uma série de ajustes estruturais patrocinada pelo Fundo Monetário Internacional e pelo Banco Mundial.

Atualmente, Silvia Federici é professora emérita da Universidade de Hofstra, em Nova York.

Pela Editora Elefante, publicou o livro Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva, O ponto zero da revolução: trabalho doméstico, reprodução e luta feminista e Reencantando o mundo: feminismo e a política dos comuns. Também é autora de inúmeros artigos sobre feminismo, colonialismo, globalização, trabalho precário, comuns e outros temas correlatos.

 

É autor(a) em:

 

Postagens relacionadas:

Lançamento de Infraestrutura para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, de Ricardo Abramovay

Registros do lançamento presencial de Infraestrutura para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, de Ricardo Abramovay, em 2 de agosto de […]

Ler mais

Floresta em pé

Por Bianca Tavolari Publicado na Quatro Cinco Um   Para muitos de nós — ouso dizer, para a grande maioria […]

Ler mais

Quatro aspectos da infraestrutura que deveriam ser aplicados à Amazônia

Por Daniela Chiaretti Publicado no Valor Econômico   O mundo irá investir US$ 90 trilhões em infraestrutura de 2015 a […]

Ler mais