fbpx

Bolsonaro genocida

Em pré-venda a preço de custo, livro compila estudos que demonstram em detalhes ação genocida do presidente da República em prol da proliferação do coronavírus e contra os direitos de povos indígenas e a preservação do meio ambiente

O título deste livro poderia ser Me chame pelo meu nome, mas o momento é gravíssimo: com 222.798 focos de queimadas em 2020, milhões de hectares de mata nativa incinerados, povos indígenas ameaçados de Norte a Sul e 295 mil brasileiros mortos por covid-19 (e contando…), as coisas precisam ser ditas com muita clareza, para não deixar dúvidas do quê e de quem estamos falando.

Bolsonaro genocida compila pesquisas que demonstram a ação do governo Jair Bolsonaro no sentido de potencializar [i] o desrespeito aos direitos indígenas e à preservação do meio ambiente (o que coloca em risco a sobrevivência cultural e material dos povos tradicionais brasileiros) e [ii] a proliferação do coronavírus no país (o que contribuiu para o aumento de casos de covid-19, com o consequente colapso do sistema de saúde e crescimento no número de mortes).

São dois livros em um, portanto, com duas capas: uma para cada tema.

O conteúdo relativo aos direitos indígenas e ao meio ambiente se baseia na denúncia apresentada pelo Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHu) e pela Comissão ARNS ao Tribunal Penal Internacional sediado em Haia, na Holanda, em novembro de 2019, sistematizando os ataques generalizados e a incitação ao genocídio contra os povos indígenas cometidos por Jair Bolsonaro no Brasil. O texto conta com introdução e atualização de Eloísa Machado e Luiz Eloy Terena.

Quanto à covid-19, a investigação conduzida pela Conectas Direitos Humanos em parceria com o Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (Cepedisa) da Faculdade de Saúde Pública da USP, concluída em janeiro de 2021, demonstra a estratégia de propagação do coronavírus conduzida de forma sistemática pelo governo e a relação direta entre os atos normativos federais, a obstrução constante às respostas locais e a propaganda promovida por Jair Bolsonaro. O texto introdutório é de Deisy Ventura, Rossana Rocha Reis e Fernando Aith.

Também pode te interessar