fbpx

Nunca um sentimento, sempre uma ação: o amor revolucionário em bell hooks

Por Vinícius da Silva Publicado no Ruído Manifesto NOTA DA EDIÇÃO: O texto a seguir é um excerto do primeiro capítulo, “Políticas do amor e sociedades do amanhã”, do livro Fragmentos do Porvir de Vinícius da Silva, a ser lançado ainda em 2022 pela Editora Ape’Ku.   Políticas de conversão e ética do amor Tendo em vista o […]

Ler mais

Sobre homens negros: não acredite no hype

[Trechos do prefácio de A gente é da hora, de bell hooks]   Quando as mulheres se reúnem e falam sobre homens, as notícias são quase sempre más. Se a conversa se torna específica e o foco recai sobre homens negros, as notícias são ainda piores. Apesar de todos os avanços nos direitos civis, no […]

Ler mais

Indicações de leitura para o #8M

Aqui na Elefante, “feminismo” não é apenas uma área de nosso catálogo, mas um compromisso editorial e uma perspectiva a partir da qual analisamos e procuramos entender e nos posicionar no mundo. Neste 8 de março, queremos enfatizar a luta das mulheres contra o fascismo: uma das bandeiras prioritárias levantadas pelo movimento feminista brasileiro em […]

Ler mais

Políticas do amor: bell hooks e o direito de amar

Por Paulo Fernando Soares Pereira Publicado na Carta Capital   A morte de bell hooks nos enlutou, mas a pensadora deixou um legado importante e pouco problematizado por juristas: o direito de amar diante das políticas de desafeto das quais a população negra costuma padecer. Em Tudo sobre o amor: novas novas perspectivas, hooks informa […]

Ler mais

bell hooks: amor é coletivo, político e ética de vida

Por Anelize Moreira Publicado no Brasil de Fato (ouça o áudio da entrevista)   A escritora, professora e ativista bell hooks trazia em suas obras dimensões subjetivas articuladas com questões sociais como o racismo, o feminismo, a política, a pedagogia, a dominação e a resistência. A autora morreu em dezembro do ano passado e deixou um legado […]

Ler mais

Lançamento de Ensinando comunidade, de bell hooks, com Ednéia Gonçalves e Vinícius da Silva

Em 25/11, lançamos o livro Ensinando comunidade: uma pedagogia da esperança, de bell hooks, em parceria com Ação Educativa. O evento conta com a participação da coordenadora executiva da Ação Educativa, Edneia Gonçalves, autora do prefácio do livro, e do pesquisador Vinícius da Silva. A mediação fica por conta da coordenadora de Eventos, Comunicação e […]

Ler mais

Obrigada, bell hooks

Quando recebemos a notícia, demoramos a acreditar. Já sabíamos que bell hooks andava com a saúde fragilizada desde 2019, quando tentamos trazê-la ao Brasil para o lançamento de Olhares negros, mas não sabíamos — e continuamos sem saber — nada sobre a gravidade do que a acometia, nem que seu quadro tinha piorado. Ao ler […]

Ler mais

81º título da Elefante: “Ensinando comunidade”, de bell hooks

Começamos e estamos terminando 2021 com bell hooks. Em janeiro, trouxemos ao público brasileiro Tudo sobre o amor. Em novembro, foi a vez de Ensinando comunidade: uma pedagogia da esperança, nosso 81º título, sexto livro da autora em nosso catálogo e último volume de sua Trilogia do Ensino a ser publicado no país. Estamos muito […]

Ler mais

Tornar-se bell hooks: aspectos biográficos, históricos e temáticos de sua trajetória intelectual

Por Mariléa de Almeida Publicado no Medium   Para começar a conversa Sem sombra de dúvida, bell hooks é uma das mais importantes intelectuais da atualidade. Desde a década de 1980 até os dias atuais, ela já publicou mais de 30 livros que, por meio de uma linguagem acessível, expressam um pensamento complexo avesso às formulações simplistas. Uma […]

Ler mais

Descolonizar a escola, nova batalha de bell hooks

Por Ednéia Gonçalves Publicado no Outras Palavras | Prefácio de Ensinando comunidade   A obra de bell hooks ocupa especialíssimo espaço na formação ativista de muitas brasileiras, sobretudo as pretas, que, como eu, afetuosamente acessaram seus textos a partir das traduções e da circulação entre pares, décadas antes de sua aguardada publicação no país. Suas […]

Ler mais