fbpx

Vozes silenciadas

Por Thiago André Publicado na Quatro Cinco Um   A escravidão é o fundamento sobre o qual foram construídas as Américas como conhecemos hoje. Não tem como entender nossa história recente sem olhar atentamente para essa instituição cruel e resistente que moldou nossa sociedade. Muita coisa já foi escrita sobre a escravidão e a liberdade […]

Ler mais

Lançamento de Devir quilomba e Vozes afro-atlânticas em São Paulo

Registros do lançamento presencial de Devir quilomba, de Mariléa de Almeida, e Vozes afro-atlânticas, de Rafael Domingos Oliveira, em 14 de junho de 2022, na Livraria Martins Fontes, em São Paulo. Bate-papo emocionante com o autores e sessão de autógrafos, com casa cheia de afeto.  

Ler mais

Prefácio de Vozes afro-atlânticas, de Rafael Domingos Oliveira, por Jaime Rodrigues

Por Jaime Rodrigues Publicado no prefácio de Vozes afro-atlânticas Na imagem: Harriet Jacobs   Um prefácio não é espaço para fazer longas digressões sobre pessoas — no caso, a pessoa que escreveu este livro. Mas não posso deixar de dizer uma ou duas palavras sobre Rafael Domingos Oliveira, historiador de quem o leitor assíduo de […]

Ler mais

Entrevista com Rafael Domingos Oliveira no Suplemento Pernambuco

Por Marina Farias Rebelo Publicado no Suplemento Pernambuco   Passados dois anos desde o início do distanciamento social necessário para conter a transmissão do novo coronavírus, estive presencialmente com o historiador Rafael Domingos Oliveira em seu apartamento no centro de São Paulo numa tarde de março de 2022. Em frente à encruzilhada que pode ser […]

Ler mais

Debate de Vozes afro-atlânticas, de Rafael Domingos Oliveira, com Marcio Farias, Jaime Rodrigues e Ynaê Lopes dos Santos

Em 22 de fevereiro, tivemos o lançamento virtual de Vozes afro-atlânticas: autobiografias e memórias da escravidão e da liberdade, uma conversa entre o autor, Rafael Domingos Oliveira; Marcio Farias, psicólogo e professor convidado do Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação da Usp, que assina a apresentação do livro; Jaime Rodrigues, professor do […]

Ler mais

Lançamento de Vozes afro-atlânticas, de Rafael Domingos Oliveira, com Marcio Farias, Jaime Rodrigues e Ynaê Lopes dos Santos

Em 22 de fevereiro, tivemos o lançamento virtual de Vozes afro-atlânticas: autobiografias e memórias da escravidão e da liberdade, uma conversa entre o autor, Rafael Domingos Oliveira; Marcio Farias, psicólogo e professor convidado do Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação da Usp, que assina a apresentação do livro; Jaime Rodrigues, professor do […]

Ler mais

Reflexões em torno da obra de Rafael Domingos Oliveira, Vozes afro-atlânticas

Por Cristina Wissenbach Na ocasião do debate sobre Vozes afro-atlânticas realizado em 12/03/22   Para dar conta da minha participação no evento de lançamento da obra de Rafael Domingos Oliveira, Vozes afro-atlânticas, reúno em torno dela um tanto de livros, autoras e autores em busca de inspiração. Entre eles, localizei em Quotidiano e poder, de […]

Ler mais

Rafael Domingos Oliveira, autor de Vozes afro-atlânticas, participa do podcast Guilhotina

No podcast Guilhotina, do Le Monde Diplomatique Brasil, Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o historiador Rafael Domingos Oliveira, autor do livro Vozes afro-atlânticas: autobiografias e memórias da escravidão e da liberdade, lançado em 2022 pela editora Elefante. A obra lança mão de autobiografias escritas em inglês por pessoas escravizadas entre os séculos XVIII e […]

Ler mais

84º título da Elefante: Vozes afro-atlânticas, de Rafael Domingos Oliveira

Que alegria é poder finalmente ter em mãos Vozes afro-atlânticas: autobiografias e memórias da escravidão e da liberdade, de Rafael Domingos Oliveira, nosso 84º título. É um livro especial em vários sentidos. Primeiro, porque é um dos raros estudos sobre as narrativas escritas por homens e mulheres escravizadas sobre a própria vida, seja antes, durante […]

Ler mais

Autobiografias e memórias da escravidão e da liberdade

No imaginário do senso comum, as populações negras escravizadas são vistas como destituídas de uma voz própria que comunique sua perspectiva sobre a experiência da escravização. No entanto, o que a historiografia contemporânea tem mostrado é exatamente o contrário: um vasto conjunto documental de relatos em primeira pessoa, produzidos entre o fim do século XVIII […]

Ler mais