fbpx

Lançamento de Devir quilomba“, com Mariléa de Almeida, Laura Maria dos Santos, Marilda de Souza Francisco e José Maurício Arruti

Em 24 de abril de 2022, lançamos Devir quilomba: antirracismo, afeto e política nas práticas de mulheres quilombolas em conversa emocionante entre a autora Mariléa de Almeida, a educadora Laura Maria dos Santos, do Quilombo Campinho da Independência (RJ), Marilda de Souza Francisco, liderança do Quilombo Santa Rita do Bracuí (RJ), e José Maurício Arruti, […]

Ler mais

Por uma ética da responsabilidade e autodeterminação, ou como podemos ser da hora

Por Túlio Custódio Prefácio à edição de brasileira de A gente é da hora Imagem: série “Pardo é Papel”, de Maxwell Alexandre   O que você tem em mãos é a tradução do livro de bell hooks sobre masculinidades negras. Não é o único. Em 2004, ano em que lançou We Real Cool, título original […]

Ler mais

Nunca um sentimento, sempre uma ação: o amor revolucionário em bell hooks

Por Vinícius da Silva Publicado no Ruído Manifesto NOTA DA EDIÇÃO: O texto a seguir é um excerto do primeiro capítulo, “Políticas do amor e sociedades do amanhã”, do livro Fragmentos do Porvir de Vinícius da Silva, a ser lançado ainda em 2022 pela Editora Ape’Ku.   Políticas de conversão e ética do amor Tendo em vista o […]

Ler mais

Quilombo e tráfico ilegal: a História que o Globo Repórter não contou

Por Mariléa de Almeida Publicado no Uol   Na última sexta-feira, 08 de abril, o programa de TV Globo Repórter, produzido pela emissora Rede Globo, exibiu um especial sobre o Vale do Paraíba, no sul do estado do Rio de Janeiro, enfatizando que a região, depois de décadas de abandono, está vivenciando uma espécie de […]

Ler mais

Lançamento de Zami, de Audre Lorde, com Lubi Prates, Floresta e Cidinha da Silva

Em 23 de março, tivemos o lançamento virtual de Zami: uma nova grafia do meu nome. Uma biomitografia, uma conversa entre a Lubi Prates, poeta e tradutora do livro, Floresta, que assina o prefácio, e a escritora Cidinha da Silva. Nós precisamos de Zami, das memórias que compõem este livro, pois são memórias e histórias […]

Ler mais

Farol do desassossego, por Lázaro Ramos

Apresentação de A gente é da hora Por Lázaro Ramos   A primeira vez que li um livro de bell hooks, ainda adolescente, em cada página eu sentia transpirar informação, transgressão e paixão. Esse primeiro contato, naquele momento em que eu tentava compreender quem eu era e como me encaixar no mundo, foi determinante para […]

Ler mais

Sobre homens negros: não acredite no hype

[Trechos do prefácio de A gente é da hora, de bell hooks]   Quando as mulheres se reúnem e falam sobre homens, as notícias são quase sempre más. Se a conversa se torna específica e o foco recai sobre homens negros, as notícias são ainda piores. Apesar de todos os avanços nos direitos civis, no […]

Ler mais

86º título da Elefante: Devir quilomba, de Mariléa de Almeida

Foi uma alegria receber da gráfica Devir quilomba: antirracismo, afeto e política nas práticas de mulheres quilombolas. O livro de estreia de Mariléa de Almeida é o 86º título da Elefante — e tem uma das capas mais lindas do nosso catálogo, fruto das ilustrações de Aline Bispo, do design de Túlio Cerquize e da […]

Ler mais

Indicações de leitura para o #8M

Aqui na Elefante, “feminismo” não é apenas uma área de nosso catálogo, mas um compromisso editorial e uma perspectiva a partir da qual analisamos e procuramos entender e nos posicionar no mundo. Neste 8 de março, queremos enfatizar a luta das mulheres contra o fascismo: uma das bandeiras prioritárias levantadas pelo movimento feminista brasileiro em […]

Ler mais

A poeta que encontrou caminho próprio

Por Rosemary Daniell Publicado no New York Times   Carriacou é, ao mesmo tempo, uma ilha das Índias Ocidentais e também a ilha da imaginação de Audre Lorde; Zami é ”um nome Carriacou para mulheres que trabalham juntas como amigas e companheiras”. E mesmo que a afirmação de que, “em Zami, Audre Lorde cria uma […]

Ler mais